PRÊMIO BRASIL BIOECONOMIA: O BIOFUTURO COMEÇA AQUI

O Prêmio Brasil Bioeconomia faz parte do Fórum Brasil Bioeconomia, um evento único e anual realizado pela Associação Brasileira de Bioinovação (ABBI), cujo tema este ano foi “Bioeconomia: da vocação à realidade”.

Com objetivo de destacar os agentes pioneiros no desenvolvimento e na vanguarda da bioeconomia no Brasil, a premiação desempenha o papel de plataforma valiosa para os empreendedores do biofuturo. Também promove a facilitação de novas parcerias, bem como a divulgação de ideias inovadoras.

Composto por três categorias: Ideias, Start-ups & Scale-ups e Empresas Âncora, o Prêmio Brasil Bioeconomia contempla um projeto em cada uma delas. Nesta edição foram 85 trabalhos submetidos, um recorde de inscrição.

As soluções foram avaliadas pelo seu alinhamento com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas, que inclui, entre outros, a erradicação da pobreza, segurança alimentar e nutrição, saúde e bem-estar, água limpa e saneamento e mudanças climáticas.


Premiados 2021        

Vencedora da categoria Ideias, a Bioprocess Improvement apresentou o projeto “Controle Biológico de Processos Fermentativos Industriais”, que consiste no uso de predadores naturais de bactérias (bacteriófagos) para o controle da contaminação bacteriana em processos industriais. A solução inovadora promete atender às seguintes necessidades: reduzir a contaminação bacteriana de processos fermentativos industriais; o uso de ácidos no controle da contaminação bacteriana; os custos de insumos (antibacteriano e tratamento ácido), além do tempo de processo.

O Sócio Fundador da empresa, Daniel Atala, falou da importância de a premiação ter sido conferida pela ABBI, por meio de uma comissão julgadora altamente qualificada para o setor da bioeconomia nacional. “Esse reconhecimento, em meio a outros ótimos trabalhos, mostra que estamos na direção correta para promover mudanças relevantes no âmbito industrial. E, certamente, contribuirá em novos avanços e visibilidade tanto para o projeto como para a Bioprocess”.

Na categoria Start-ups & Scale-ups, com o projeto “Manejo Biológico OnFarm”, a Solubio Tecnologias Agrícolas levou o prêmio pelo desenvolvimento de uma tecnologia integrada composta por um programa completo de produtos e serviços para o manejo biológico on farm: a Solubio Experience. Para fins comparativos, apenas em relação ao uso de embalagens de produtos prontos, a produção on farm oferecida pela solução inovadora diminui em até 24 vezes o volume do uso de embalagens.

“Recebemos o prêmio com muita alegria. Nós acreditamos que o desenvolvimento da bioeconomia nacional, além de representar um avanço em termos de sustentabilidade e atender aos anseios da população por alimentos mais saudáveis, impacta na soberania nacional”, declara Alber Guedes, CEO da empresa.

Já a premiada na categoria Empresas Âncora foi a Raízen Geo Biogás, pelo projeto “Geração de biogás através da biodigestão de resíduos da produção de açúcar e etanol”. O propósito da solução corresponde ao aumento do aproveitamento dos resíduos, contribuindo para a redução da geração de metano sem controle na atmosfera, e para a geração de energia através de combustível renovável.

“Para este projeto, que é um marco no desenvolvimento do mercado do biogás, tanto pela inovação tecnológica aplicada, quanto pela dimensão da escala de produção do biogás, este reconhecimento é literalmente uma carga adicional de energia para os próximos passos que pretendemos seguir”, diz Diogo Simões, Gerente de Desenvolvimento de Negócios da empresa.

Em relação às perspectivas para 2022, a Gerente de Operações, Debora Cardoso Vieira, revela: “Pretendemos iniciar a construção da nossa segunda planta de produção de biogás e biometano e, no decorrer do ano, realizar estudos detalhados para mais duas ou três plantas, acelerando nossa jornada de crescimento. Com isso, poderemos contribuir de maneira significativa para o desenvolvimento deste mercado e reforçar, através destes investimentos, nosso compromisso com a economia de baixo carbono.”


Reconhecimento

A novidade da terceira edição do Prêmio Brasil Bioeconomia ficou por conta da menção honrosa na categoria Ideias. Representados pela Professora Bárbara Daniela Rodrigues, os alunos da Escola Estadual Professor Sebastião de Oliveira, de São Carlos, interior de São Paulo, criaram um projeto para avaliar a quantidade de alimentos desperdiçados. Por meio de uma metodologia de aprimoramento com informática e aplicativos, os estudantes desenvolveram um biodigestor que produz biogás – a ser utilizado na própria cozinha da escola – com as sobras alimentares.

Rua Gomes de Carvalho, 1581 Conj. 901|902
04547-000 – São Paulo, SP – Brasil
+55 11 3569-3564

Assine nossa newsletter: